Mel de Sinop e região chegará ao mercado de Mato Grosso

Mel de Sinop e região chegará ao mercado de Mato Grosso

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SEDEC) prepara a parte burocrática e legal para a abertura e o funcionamento da Casa do Mel. O local, construído pela Prefeitura, fica no Loteamento Comercial e Industrial de Sinop (LIC Norte) e deverá absorver, processar e industrializar toda a produção local e de algumas cidades vizinhas, como Santa Carmem, Vera, Sorriso, Nova Ubiratã, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde, Cláudia e Itaúba.

Para que essa absorção da produção seja possível, o Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea) iniciou uma série de vistorias e inspeções para a concessão do Serviço de Inspeção Sanitária Estadual (SISE), selo que permitirá a comercialização do produto, de forma legal, nos mercados dos 141 municípios de Mato Grosso.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Daniel Brolese, a regularização desse tipo de atividade e a industrialização desse tipo de produto são os primeiros passos para o crescimento de uma atividade econômica muito importante da região. “Temos, aqui, o segundo maior produtor individual de mel de todo o Estado. Esse apicultor é responsável pela produção de, pelo, menos, 30 toneladas de mel ao ano”.

Durante a primeira visita de inspeção, o diretor regional do Indea de Sinop, Luzivaldo Souza, mostrou-se bastante sensibilizado com a formalização da atividade econômica. “Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para regularizar e ajudar a fomentar esta atividade que poderá significar e agregar valor, não somente, para o município de Sinop, mas para município de toda uma região. Vejo que o processo está bastante adiantado, mas se for preciso, começaremos do zero para que tudo saia de forma perfeita para os produtores”, pontuou.

A Casa do Mel estará ligada, diretamente, à Cooperativa dos Produtores Rurais de Sinop (Coopernop). Um Termo de Cessão, amparado pela Lei 2422/17, foi assinado dando autonomia de uso e exploração à Coopernop até dezembro de 2020. A intenção, segundo seretário municipal, superintendente e técnicos da Sedec e do Indea, é que todo o trâmite burocrático e certificação junto ao SISE fiquem prontos em, pelo menos, três meses.

O mel é um produto de baixo custo e mão de obra barata, mas com grande valor de mercado agregado. Seu preço de mercado (atacado) gira em torno de R$ 12 o quilo produzido e a intenção é que a Cooperativa, assim como a Casa do Mel agreguem uma associação de, cerca, de 10 municípios somando, assim, pelo menos, 50 produtores de mel o que, segundo Brolese, fortalecerá toda uma economia regional.  

Por Luciano André/Jornalista.