Projeto sobre hanseníase atendeu todas as unidades municipais de saúde em 2018

Projeto sobre hanseníase atendeu todas as unidades municipais de saúde em 2018

A Secretaria de Saúde, por meio da Vigilância em Saúde do Trabalhador e do Centro de Referência em Hanseníase e Tuberculose encerraram o projeto Saúde do Trabalhador sobre Hanseníase na última sexta-feira (07) no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS). O projeto orientou e examinou durante o ano todos os profissionais que trabalham no setor da saúde.

Nesse último atendimento do projeto no CAPS, esteve presente mais de 20 pessoas, entre funcionários e até mesmo pacientes. “Eu fiz essa parceria com o projeto, porque aqui nos temos um olhar muito clínico ao paciente, estamos sempre cuidando para que eles recebam o tratamento adequado, só que muitas vezes focamos somente na saúde mental, e esquecemos a saúde física, principalmente da nossa”, conta a coordenadora do centro, Amanda Machado Maciel.

De acordo com a coordenadora de Vigilância em Saúde do Trabalhador, Leonice Guerreiro a ação buscou capacitar os profissionais da saúde, para que eles saibam identificar a doença na própria unidade de atendimento durante as consultas rotineiras. Outro intuito do projeto é avaliar os próprios servidores, e com isso poder fazer um diagnostico precoce em caso de confirmação da doença. 

“A portaria do Ministério da Saúde, afirma que os profissionais estão menos propícios a adquirirem a doença, pois é necessário no mínimo 24 horas contato direto com o portador para que haja transmissão, mas isso não inibe as chances de se contrair a doença, então é sempre necessário esse trabalho de prevenção”, explica Leonice.

Para a enfermeira e coordenadora do Centro de Referência em Hanseníase e Tuberculose, Maria Auxiliadora Freita Souza, com essa ação aumentou o número de diagnósticos precoces e com isso muitas sequelas causadas pelas doenças são evitadas. “Todos os profissionais da rede pública do município estão capacitados para atender esse público, porque damos todo o apoio necessário”, conta Maria.

Fonte:Prefeitura de Sinop/Assessoria