Lucratividade de soja ainda recomenda venda

Lucratividade de soja ainda recomenda venda

O mês de agosto começou com preços em queda para todo o complexo de soja: caíram os preços do grão, do farelo e do óleo. A queda do grão acompanhou a queda do dólar e de Chicago, não compensadas pelos aumentos dos prêmios nos portos brasileiros. A avaliação é do analista da T&F Consultoria Agroeconômica, Luiz Fernando Pacheco.

“A queda do farelo acompanhou a queda na demanda a partir do setor de carnes, contra a tendência sazonal, que seria de maior demanda no inverno, mas os preços estavam excessivos para os custos das carnes, mesmo sem os problemas das exportações. A queda do óleo acompanhou um pouco a redução por óleo refinado no mercado interno, pelo nível de desemprego ou de receio com a economia, e o resto do complexo”, explicou. 

No entanto, diz Pacheco, mesmo um pouco menor do que julho, a lucratividade atual da soja ainda é alta: “Mesmo que os custos totais tenham subido levemente para R$ 57,62/saca (ou R$ 3.169,20/hectare), para uma produtividade de 55 sacas por hectare, segundo o Deral-PR. Depois de pagas absolutamente todas as despesas, ainda sobrariam, aos preços desta sexta-feira, quase 60% para os agricultores de SP, cerca de 51% para os sojicultores do PR, 44% para os de SC e 35% para os do RS. Do Centro-Oeste para cima os lucros continuam ao redor de 30%, repetimos, depois de pagar todas as despesas, como manda a boa contabilidade”. 

“Quem vendeu no início de julho ou, melhor ainda, em maio, tem lucratividade maior do que quem esperou até agora com o produto armazenado e ainda não vendeu. Mas, o lucro ainda é grande e ainda é hora de vender. Pergunte-se sinceramente: quais as chances de os preços chegarem a R$ 84,00 no interior em setembro, R$ 86,00 em outubro, R$ 88,00 em novembro e R$ 90,00 em dezembro? Ninguém garante que não chega, mas também ninguém garante que chega. Mas, quem vendeu há 60 dias já garantiu estes preços, se aplicou o dinheiro num juro médio-baixo do banco (se aplicou na sua empresa pode ganhar mais ainda)”, conclui.

Por: AGROLINK -Leonardo Gottems