Procon faz ação fiscalizatória prevendo aumento de vendas para a Copa

Procon faz ação fiscalizatória prevendo aumento de vendas para a Copa

O Órgão de Defesa do Consumidor (Procon-Sinop) percorreu o comércio local, com uma ação fiscalizatória antecipando vendas e promoções para o período da capa do mundo. A ação, denominada Procon na Copa, teve como alvo as lojas de eletroeletrônicos.

De acordo com a diretora do Órgão, Juliana Baptista, o objetivo principal foram os televisores que, teoricamente, terão suas vendas aumentadas durante o período da Copa do Mundo. “Nós verificamos, principalmente, a precificação, as promoções e a divulgação dos produtos. Nós, também, oferecemos, aos gerentes de vendas das lojas visitadas, orientações de acordo com a legislação consumerista”.

A diretora revela que esta será a primeira fase da ação e que a segunda consistirá em uma nova visita durante o período considerado como pico de venda dos televisores. “Nós recolhemos panfletos, jornais de promoção, pedimos alguns orçamentos e, agora, vamos voltar para ver se os preços praticados são os mesmos ou se sofreram acréscimos abusivos por causa do período de vendas”, complementou o assessor jurídico do Procon Bruno Hintz.

Hintz explica que algumas lojas apresentaram irregularidades quanto á exposição de preços e, principalmente, o percentual de juros acrescidos nas compras à pazo. Ele salienta que essas lojas foram notificadas e que receberam um prazo para se regularizar para não sofrerem sanções previstas em lei. Por outro lado, ele disse que outras lojas estavam trabalhando em total acordo com o Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Em uma delas, a gerente de vendas, Rose Ferreira, elogiou a iniciativa do Procon. “Pra gente, que trabalha certo, é bem legal receber esse tipo de visita. É bom saber que tem gente olhando e observando o que estamos fazendo pelo cliente, que o desconto que damos é real”.

O concorrente, localizado do outro lado da rua, é uma loja nacional e aguardava as ordens de promoções que serão dadas pelo Brasil inteiro, por isso não havia nenhuma cartaz ou revista de promoção, mas o gente forneceu orçamentos impressos e se colocou à disposição da equipe. O ato de colaboração foi o mesmo do gerente de uma outra loja, a diferença é que ele não vende televisores, mas com bom humor apostou, também, no aumento das vendas da Copa. “Nós não vendemos TV, mas vendemos estofados e eu acredito que uma boa TV merece um bom sofá para assistir à vitória do Brasil na Copa do Mundo de 2018”, descontraiu Anderson.

Por Luciano André/Assessoria.