Tacacá:A incrível culinária do Pará

Tacacá:A incrível culinária do Pará

Se a Amazônia, os pontos turísticos e a simpatia do povo não forem suficientes para fazer você correr para Belém, então vá pela comida. Basta uma refeição na capital do Pará para seu estômago perceber que entrou num novo mundo. Mundo de ingredientes, sabores e até nomes pouco usuais no restante do Brasil, mas inesquecíveis. Viajar pelo Pará significa descobrir a onipresença do tucupi, o prazer do tacacá e a surpresa da maniçoba, que, devo admitir, à primeira vista não me conquistou. Mas na primeira garfada…

A beleza gastronômica de uma viagem ao Pará é que é possível comer bem por valores relativamente baixos. Na dúvida, comece pelo Ver-o-Peso, a maior feira de rua das Américas. Lá, além de contemplar milhares de garrafas cheias de tucupi, você entenderá que a comida paraense é tão incrível por conta de uma mistura entre os ingredientes amazônicos, as receitas indígenas e os pratos dos europeus e dos negros que foram viver em Belém ao longo dos últimos 400 anos.

Tacacá

Tucupi, jambu, camarão e goma de tapioca cozida formam o tacacá, outro prato que reflete o espírito do Pará e também é comum em outras partes do norte do Brasil. É um caldo servido quente e que pode levar pimenta.

O tacacá é servido em cuias e pode ser encontrado em várias esquinas de Belém – basta procurar pelas tacacazeiras, cozinheiras que há décadas fazem o tacacá, conhecimento passado entre gerações. As tacacazeiras foram declaradas Patrimônio Cultural Imaterial de Belém e recentemente a prefeitura passou a organizar um festival anual de tacacá.


Texto de