Alimentar os animais pode provocar desequilíbrio à fauna das reservas de Sinop

Alimentar os animais pode provocar desequilíbrio à fauna das reservas de Sinop

Quem frequenta o Parque Florestal de Sinop, ou a reserva localizada em frente ao cemitério do município, costuma encantar-se com a exuberância e riqueza naturais. Com fauna e flora diversas, o espaço tornou-se um dos pontos preferidos dos amantes da natureza, porque nesses locais, têm a oportunidade de encontrar exemplares de animais silvestres, e entre eles os macacos.

No entanto, como alerta a bióloga Cristiane Cesco Diel, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS), contemplar a natureza é permitido, mas, alimentar os bichos que, tradicionalmente, são vistos nessas áreas, não. A restrição engloba desde gêneros industrializados (salgadinhos e demais) até frutas.

Conforme explica Diel, os animais silvestres, diferentemente dos seres humanos, possuem hábitos alimentares distintos e que, quando alterados, implicam em maior suscetibilidade às doenças, mudanças metabólicas, impacto sobre a cadeia reprodutiva, entre outros riscos. "Cada animal tem seu instinto, seu habitat. Como eles já vivem, aqui, eles sempre tiveram sua alimentação natural. Porém, a própria população, quando vêem eles, costuma alimentar e isso não faz bem à saúde dos animais. Como eles habitam este espaço eles têm que buscar o próprio alimento", explica a bióloga.

Classificado como uma Unidade de Conservação na categoria “Parque Natural Municipal” (Lei nº 2.067/2014), o Parque Florestal conta com algumas normas e regras de conduta por parte dos visitantes para assegurar a manutenção da biodiversidade.

Fonte:Prefeitura de Sinop/Assessoria