Presidente da Embrapa inaugura laboratórios do futuro em Pelotas/RS

Presidente da Embrapa inaugura laboratórios do futuro em Pelotas/RS

Sebastião Barbosa fez visita as bases experimentais de pesquisa, reunião com empregados e conheceu trabalhos desenvolvidos, através de uma Mostra de Tecnologias.

Na semana passada,(12/12), o presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa),  Sebastião Barbosa, esteve na unidade de pesquisas, a Embrapa Clima Temperado (Pelotas,RS) para inauguração de duas estruturas de pesquisa que vão atender o mercado de alimentos saudáveis e de bioinsumos, demandas das cadeias produtivas gaúchas e que se estendem para todo o país. Os laboratórios que fazem parte do complexo Núcleo de Alimentos e Núcleo de Bioinsumos e Recursos Genéticos foram abertos ao público de interesse da Empresa, com a presença de importantes lideranças da agricultura do Rio Grande do Sul. O ato solene aconteceu nas dependências do centro de pesquisas, localizado à BR 392, Km 78. O presidente da Empresa cumpriu também uma agenda de visitação as bases físicas da Unidade de pesquisas.

A solenidade aconteceu às 13h30 com o descerramento de placa inaugurativa feita pelo presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa, e o chefe-geral da unidade de pesquisas local, Clenio Pillon. Compuseram o ato solene parceiros estratégicos do centro de pesquisas como o presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do RS (Federarroz), Henrique Dornelles; o presidente da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) e  prefeito de São Lourenço do Sul, Rudinei Harter; o  reitor da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) Pedro Curi Hallal; o presidente do Conselho dos Secretários Municipais de Agricultura do RS e secretário de Desenvolvimento Rural de Pelotas, Jair Seidel; a vice-prefeita do município de Capão do Leão,Gilciane Baldassari; o presidente do Sindicato das Indústrias de Doces e Conservas Alimentícias de Pelolas(Sindocopel), Paulo Crochemore; o presidente do Instituto Brasileito de Olivicultura (Ibraoliva), Eudes Marchetti; o primeiro vice-presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no RS (Fetag/RS), Nestor Bonfante.

Os Novos Núcleos

As duas estruturas são uma entrega de investimento em infraestrutura feitos pela Embrapa para dar suporte às atividades da programação de pesquisa conduzidas pelo centro de pesquisas de Pelotas. Elas fazem parte de uma estratégia de racionalização de custos e compartilhamento de espaços coletivos de pesquisa, desenvolvimento e inovação.

O Núcleo de Alimentos vem dar respostas aos mercados de alimentos saudáveis, com o envolvimento de áreas de tecnologias de alimentos e pós-colheita; e o Núcleo de Bioinsumos e Recursos Genéticos contempla as áreas de biologia molecular, cultura de tecidos e bioinsumos, que dão suporte aos programas de melhoramento genético de cereais, frutas e hortaliças e que trabalham no desenvolvimento de processos e ativos de base biológica para uso na agricultura, relacionados à fixação biológica de nitrogênio, promoção de crescimento das plantas, novos fertilizantes e biorremediação. Também faz parte deste Núcleo, o Laboratório de Análises de Azeites. A estrutura dará suporte ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para garantir a qualidade dos azeites comercializados no país.

A construção dos Núcleos teve início em 2014 e contou com recursos majoritários da Embrapa e aporte adicional de emenda parlamentar de autoria do deputado federal Paulo Pimenta. Foram investidos cerca de três milhões e trezentos mil reais para concretização da estrutura de pesquisa.

A fala do Presidente

O presidente Sebastião Barbosa começou sua fala num tom de agradecimento, percebendo nos detalhes, o carinho com que foi recebido na Unidade de pesquisas, desde o operário mais humilde até o pesquisador mais graduado, além de destacar todos os responsáveis pela condução da obra e a todos os empregados que de alguma forma estiveram envolvidos para concretização das novas estruturas. "Eu confio, e dou carta branca, para quem deseja trabalhar e desenvolver pesquisa com a unidade, atentando  para a necessidade de aproximação do setor produtivo empresarial, dos pequenos agricultores e também trabalhar com a transferência de tecnologias àquelas regiões distantes dos processos de desenvolvimento de pesquisa no Brasil", falou Barbosa.

"Chegamos a um momento em que a Embrapa precisa mudar, existe alguém que diz que em time vencedor não se muda, mas existe um conceito diferente hoje. Sim, se pode mexer em time que está vencendo para continuar vencendo. Então, nos 45 anos da Embrapa, todos reconhecem e valorizam as contribuições que a Empresa deu até esse momento na agricultura no Brasil. Ela é reconhecida pela sociedade brasileira, e inclusive fora do Brasil, e isso nos dá muita satisfação e uma responsabilidade ainda maior de continuar a fazer o que a sociedade e os agricultores esperam", falou o Presidente diante dos 62 dias à frente de um dos cargos mais importantes e requisitados no próximo governo brasileiro. Ele enfatizou que já manteve quatro encontros com a futura ministra da pasta, Tereza Cristina.

O chefe-geral Clenio Pillon, destacou a importância de estar inaugurando novas estruturas de apoio a pesquisa, desenvolvimento e inovação em tempos de dificuldades econômicas no país. Ele lembrou que o resultado foi possível com muito trabalho, compromisso e articulação com os setores, representados pelas suas lideranças no ato solene. "Em reunião com o Conselho de Agroindústria do RS, nesta semana, vi que estas estruturas atendem aos pontos que o setor coloca como essenciais para o futuro: o desenvolvimento de novos produtos com baixo teor de açúcares, direcionados ao quesito da “saudabilidade" e poderemos, através da pesquisa, promover estratégias e agregação de valor aos produtos da agricultura empresarial e a agricultura familiar. Além disso, entender a lógica de novos insumos, que faz com que possamos aproveitar o que há de bom em nosso sistema produtivo e colaborarmos com uma agenda de pesquisas de base biológica, que poderão ser incorporadas rapidamente pelos setores produtivos", explicou Pillon. 

Mostra de Tecnologias

Após o ato solene todos os presentes foram convidados a acompanhar o dirigentes da Empresa, no saguão do prédio principal do centro de pesquisa da Mostra de Tecnologias da Embrapa Clima Temperado, um espaço onde os pesquisadores mostraram os trabalhos realizados nos laboratórios e em seus Campos Experimentais. O presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa, elogiou os trabalhos e sugeriu linhas de pesquisas que podem ser avançadas.

Os nichos de produtos resultantes das áreas de pesquisa foram apresentados por temas:

Agrometeorologia - Mostra do trabalho desenvolvido pelo Laboratório de Agrometereologia. Foi apresentado o Atlas Climático da Região Sul, que apresenta mapas climatológicos e os aplicativos GD Arroz e Agromet desenvolvidos para ajudar os produtores com as mudanças climáticas, que também são analisadas pelos pesquisadores do laboratório.

Arroz -  Foram apresentadas as variedades BRS Pampa, BRS Pampeira e BRS A701Cl em forma de grãos, suas características e benefícios para o produtor e o consumidor, além de conhecer sua recomendação para culinária brasileira e possibilidades de geração de outros produtos a base de arroz.

Fruticultura - A mostra mais saborosa e variada contou com a apresentação das variedades de pêssego, ameixa, amora, mirtilo, maçã e morango, desenvolvidas e melhoradas geneticamente pelos pesquisadores da Unidade. A cultivar que será lançada em breve, a amora BRS Cainguá, pode ser consumida, além de uma diversidade de variedades de pêssegos brancos e amarelos.

Leite - Em conjunto, pesquisadores apresentaram elementos essenciais para a produção leiteira. Uma parte focou no desenvolvimento de forrageiras e apresentou os trabalhos já realizados, como a régua de manejo BRS Sul e o aplicativo Pastejando. A outra apresentou as pesquisas e análises realizadas no Laboratório Qualidade do Leite.

Cebola - Foram apresentadas as variedades CEB 302, CEB 303, CEB 303, CEB 305, CEB 306, CEB 307, CEB 308, CEB 311, CEB 312, CEB 312 E Primavera, desenvolvidas pela Embrapa através de melhoramento genético e como tem se fortalecido a cadeia produtiva da cebola na Metade Sul do RS.

Batata-doce - Mostra de produtos que podem ser produzidos a partir das variedades da Embrapa BRS Cuia, BRS Amélia, BRS Rubissol, BRS FEPAGRO Viola e BRS Gaita, e a técnica de reprodução de mudas através de uma matriz, em que é possível reproduzir cerca de 300 mudas a partir de uma planta.

Batata - Além das cultivares de batatas  tradicionais Baronesa e Macaca, também foram apresentadas as variedades BRS Ana, BRS Clara, BRSIPR Bel, BRS Camila, F 50-08-01, F 183-08-01, F 21-07-09, F 63-10-07, todas com forte potencial produtivo.

Manejo de solos e culturas para diversificação - Em conjunto, foram apresentadas as tecnologias voltadas para a minhocultura, cultura da noz-pecã, apicultura, e apresentação do milho farináceo BRS 015FB, que será utilizado futuramente na fabricação de biscoitos.

Cana de açúcar - Mostra da publicação de organização do conhecimento para Sistema de Produção da Cana-de-Açucar para o Rio Grande do Sul, e degustação de cachaças produzidas a partir das 12 variedades de diferentes cultivares adaptadas no Estado gaúcho.  

Rochagem - Mostra de rochas e substâncias encontradas na região que auxiliam na fortificação do solo. Além disso, foram apresentadas publicações que contém as informações sobre as rochas.

Controle de Pragas e Insetos - Mostra de programas de controle de pragas e insetos e do programa de monitoramento e controle da Mosca-das-frutas Anastrefa Frateculus desenvolvido no Laboratório de Entomologia. Foram apresentadas o desenvolvimento de parasitóides para o controle biológico, e apresentação do Sistema de Alerta Mosca-das-Frutas que monitora a população das moscas durante o período de frutificação do pêssego.

Visita as bases experimentais

Durante a manhã do dia 12 de dezembro, o presidente Sebastião Barbosa fez as visitações as duas áreas físicas experimentais da Embrapa Clima Temperado. Na Estação Experimental Cascata (EEC), situada a 10km da sede do centro de pesquisas, foi feita uma reunião com gestores e apresentado a ele um panorama geral das principais linhas de pesquisa desenvolvidas na EEC, que desde 1938 realiza trabalhos para a independência tecnológica da Agricultura Familiar.

Os pontos de destaque da Estação apresentados ao Presidente foram: os sistemas de base ecológica de produção de hortaliças e frutas como as cultivares de oliveiras, mirtilo, goiaba, amora e batata-doce (produto que apresenta grande apelo para a agricultura familiar), e também a cultivar de milho farináceo branco BRS 015FB,  que é indicada principalmente para a panificação e que será lançada em 2019.

Para ele foram apresentados também os Insumos alternativos para os sistemas de produção de base ecológica e conservação dos recursos naturais, e os projetos desenvolvidos em busca da preservação ambiental como a Casa Sustentável, projetada para demonstrar aos agricultores familiares uma série de tecnologias que podem oferecer num ambiente  mais sustentável de habitação.

Visita Estação Terras Baixas

Após, às 10h, o presidente Sebastião Barbosa seguiu para Estação Experimental Terras Baixas, localizada no município de Capão do Leão/RS, localizada há 15 km da sede do centro de pesquisa. Na estação são desenvolvidas atividades ligadas ao setor leiteiro, projetos em melhoramento genético de arroz, trigo, feijão, soja, milho, sorgo e forrageiras, pesquisas para sistemas de produção de bubalinos, e projetos nos temas de agrobiodiversidade, novos insumos e agroenergia.

Sebastião Barbosa percorreu as lavouras de arroz e soja. Também, conheceu o Núcleo de Bioeficiência em Terras Baixas que foi inaugurado em 2017, aonde são desenvolvidas pesquisas na área de entomologia e melhoramento genético e o Laboratório de Qualidade de Leite, responsável pela prestação de serviços a empresas e cooperativas, através de análises de qualidade do leite.

A área que está sendo preparada para a próxima Abertura Oficial da Colheita do Arroz, em fevereiro 2019, foi também conhecida de perto por Barbosa. Foram apresentadas as cultivares de arroz, BRS Pampeira, Pampa e A701Cl cultivadas no solo. Também foi apresentada a cultivar BRS Pampa Cl,  cultivar de segunda geração quanto à resistência ao herbicida Kifix® com excelência em qualidade de grãos e elevada produtividade, passando de 10 mil toneladas por hectare e reconhecida pelo setor produtivo.

Ao final do dia, o presidente Sebastião Barbosa, encerrou sua agenda mantendo um contato direto com os empregados. Durante uma hora e meia, ele fez sua manifestação apresentando sua trajetória e já avaliando o seu tempo de administração na Presidência da Embrapa. Como peculiar sua conversa foi espirituosa e aberta, abrindo ao público um espaço para questionamentos, respondendo a todos, e em especial, dando atenção as representatividades dos empregados, através da Seção local do Sindicato de Trabalhadores, o Sinpaf, e Associação local dos empregados, a AEE.   

Por: EMBRAPA