Saúde:Como funciona o "detox iônico"

Saúde:Como funciona o "detox iônico"

Esqueça os sucos verdes e os chás detox. A mais nova tendência entre os famosos é o "detox iônico". O tratamento consiste na eliminação de toxinas do corpo através dos pés. "Nosso corpo foi projetado para eliminar as toxinas de dentro dele. O fígado, a pele e os pulmões fazem isso.

Mas, devido ao nosso estilo de vida ruim, nosso corpo fica incapacitado de fazer isso. E intoxicado! Quando a pessoa percebe, está com vários sintomas de intoxicação, que incluem insônia, manchas na pele, dor de cabeça, alterações no humor, acne, queda de cabelo, excesso de pêlo e irritabilidade. A desintoxicação iônica ajuda os nossos sistemas a voltarem a funcionar".

Como Funciona?

Já pensou em ficar 30min com os pés mergulhados na água e, além do relaxamento, ainda eliminar toxinas indesejadas pelo corpo? A desintoxicação iônica é uma alternativa. “O método otimiza resultados estéticos contra celulite, manchas, acne e alergias, ajuda no emagrecimento e melhora a qualidade de vida”, indica a massoterapeuta Marcela Serafim.

Conforme a profissional estética, a desintoxicação iônica ocorre por meio de eletrodos inseridos na água. Dessa forma, materiais contidos nas diferentes camadas da pele tornam-se visíveis na cor da água. Se ficar preta ou verde, pode indicar toxinas na vesícula biliar ou no fígado. Na cor laranja, por exemplo, sinaliza alteração nas articulações.

“O aparelho age diretamente na normalização do fluxo linfático. Com isso, diminui a celulite e os níveis de colesterol, beneficia a pele e o cabelo, reduz o estresse e ansiedade. Contribui ainda para aliviar dores de cabeça pelo aumento do nível energético e fortalecimento do sistema imunológico. É rápido, indolor e pode ser realizado uma vez por semana”, completa.

Devido ao uso de eletrodos, as sessões de detox iônico não podem ser realizadas por pessoas com marca-passo. Também não devem realizar a desintoxicação iônica mulheres grávidas, crianças com menos de 12 anos e pessoas que tenham feito transplante de órgãos e tomam medicamentos anti-rejeição.


Por António César Gonçalves-Biomédico C/Lucas Lemos      Foto DP                                                                                                                                                                               Contato: 66 99997-3005