Saúde promove melhoras no sistema da Central de Assistência Farmacêutica

Saúde promove melhoras no sistema da Central de Assistência Farmacêutica

Para garantir mais celeridade nos processos de distribuição de medicamentos de alto custo e um melhor atendimento dos pacientes, a Secretaria Municipal de Saúde promoveu algumas alterações no sistema da Central de Assistência Farmacêutica (CAF).

Inicialmente, os processos para solicitação dos remédios eram montados pelo município, encaminhados ao Polo Regional de Saúde do Estado e, posteriormente, à Secretaria de Estado de Saúde, que é responsável pelo fornecimento dos medicamentos de alto custo. Com as mudanças, a CAF de Sinop monta todo o processo dos pacientes e encaminha diretamente à Superintendência de Assistência Farmacêutica do Estado (SAF), para solicitar a entrega da medicação.

“Hoje nós temos uma grande mudança, porque temos acesso às medicações fornecidas pelo Estado. Antes recebíamos a documentação via Secretaria de Saúde e passávamos o processo para o Polo Regional. Hoje, recebemos o processo e encaminhamos direto para o Estado. Temos agora acesso ao processo na SAF”, explicou a coordenadora da CAF Sinop, Elcinéia Rodrigues Paiva.

O fornecimento dos medicamentos de alto custo é de responsabilidade do Estado, porém, cabe ao município receber os pedidos dos pacientes e organizar a documentação necessária para garantir o atendimento da solicitação. “Nós podemos dizer que melhorou cerca de 80%, porque não depende apenas de nós, mas, também, do Estado”, considerou a coordenadora.

A CAF de Sinop é a única do Estado que possui um profissional farmacêutico responsável por receber os pedidos de medicamentos e fazer as análises necessárias. “A medicação de alto custo, a princípio, é uma atribuição do Governo do Estado. A função do município é acolher e atender o paciente e verificar a documentação que é necessária. Hoje existe um sistema, que é o sistema nacional e a gente repassa os dados do paciente ao sistema. Sinop é o único município de Mato Grosso que tem profissional habilitado para fazer avaliações”, pontuou o farmacêutico responsável da CAF, Michel Rossi UIiano.

O aposentado Carlos da Silva é um dos pacientes que depende da medicação de alto custo. Há cinco anos ele foi submetido a um transplante de rim e garante de que, desde que foi realizada a mudança no sistema a medicação não tem faltado. “Já tivemos muitos problemas, mas de uns seis meses pra cá a qualidade do medicamento está vindo ok”.

A CAF Sinop realiza, em média, 2.200 ao mês, sendo 1.200 atendimentos na farmácia de Alto Custo e mil atendimento pacientes judicializados. Os atendimentos consistem em acolhimento do paciente, recepção e conferência de documentação, lançamento dos processos no sistema, atendimento do paciente para retirada de medicações e insumos.

Fonte:Prefeitura de Sinop/Assessoria