Dilmar: eleições de 2020 não podem abalar base do Governo

Dilmar: eleições de 2020 não podem abalar base do Governo

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Dilmar Dal’Bosco (DEM), pediu que haja maturidade entre os partidos aliados do Governo Mauro Mendes (DEM) para que a disputa municipal das eleições de 2020 não rache o grupo.

Isso porque, segundo o parlamentar, não será possível unir os partidos em um mesmo bloco em todas as cidades.

Um dos exemplos é Cuiabá, em que o governador já demonstrou interesse em lançar um nome do DEM ao comando da Capital. O apadrinhado deverá disputar contra o atual prefeito, Emanuel Pinheiro, filiado ao MDB – partido membro da base de Mendes.

“Nós teremos que ter maturidade para entender que as eleições municipais não podem abalar a estrutura ou a base do Governo. Nós vamos buscar alianças para que possa ter composição dos partidos que fazem parte da base do Governo, sim. Agora, temos que entender as questões locais”, disse o deputado ao MidiaNews.

“Nós, muitas vezes, não estaremos juntos com MDB, não vamos estar junto com PSC, PSB, e eles da mesma maneira”, acrescentou. 

Apesar de apontar a possibilidade de o DEM estar em um grupo diferente do MDB de Emanuel, nas eleições do próximo ano, Dilmar não descartou uma eventual aliança. 

“Tudo é possível. Agora, o DEM está procurando ter candidatura própria dentro da Capital. É normal que o Democrata também possa ter uma candidatura na Capital, em Várzea Grande. Nos polos mais importantes do Estado”.

Nomes

O deputado disse, entretanto, que o cenário começará a se formar a partir de março do ano que vem, quando a Justiça Eleitoral abrirá uma janela, de um mês, para que agentes políticos em mandato possam trocar de partido.

O DEM aguarda migrações como a do secretário de Estado de Saúde Gilberto Figueiredo e do apresentador Roberto França.

“É natural que cada partido procure lideranças políticas e é o momento. Outro momento é em março, onde abre a janela partidária para trazer vereadores e vereadoras para compor seu partido políticos”.

Fonte: Midianews