Leonardo Visera investiga locações do Centro de Eventos Dante de Oliveira

Leonardo Visera investiga locações do Centro de Eventos Dante de Oliveira

Vereador pede prestação de contas por parte da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico dos aluguéis de 2017 e 2018.

O primeiro vice-presidente da Câmara de Vereadores, Leonardo Visera (PP) está requerendo junto à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, informações referentes aos aluguéis do Centro de Eventos Dante de Oliveira. Ele está solicitando uma prestação de contas referente aos valores aplicados nos anos de 2017 e 2018.

No documento aprovado por todos os vereadores na Sessão Ordinária desta sexta-feira (17), o parlamentar solicita a relação dos locatários e a quantidade das locações feitas em 2017 e no ano em curso até o presente momento. Além disso, quer saber os preços por quais o espaço foi alugado e a destinação desses recursos. O prédio é de propriedade da prefeitura, mas tem autorização para ser alugado a terceiros.

“À princípio nossa intenção é obter essas informações para além de saber o rendimento que a prefeitura tem com o prédio, onde os valores arrecadados foram ou estão sendo aplicados”, declarou Visera.

O vereador teve também duas indicações aprovadas pelo plenário. Ambas direcionadas à Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos. Na primeira, sugeriu patrolamento da Estrada Manoel José de Souza. A falta de manutenção tem deixado a via em condições inadequadas para tráfego. “Há a necessidade de reparos urgentes, até porque, o período chuvoso se aproxima, o que poderá aumentar os transtornos para recuperação desta estrada”, defendeu ele.

Em outra, pediu limpeza do meio-fio e bueiros do Residencial Lisboa. No documento ele destaca que o acúmulo de lixo nas laterais e dentro das sarjetas tem deixado o local em condições reprováveis. “O mato cresceu neste acúmulo de terra, prejudicando o futuro escoamento de água da chuva. Sabemos também que a tal situação promove proliferação de insetos e roedores, que pode ocasionar doenças, colocando em risco todos os moradores do bairro e até aos que por ele circulam”, esclareceu Visera.

 

Por Roneir Corrêa de Menezes/Jornalista