Propina do Detran era paga em escritório e repassada a filho de Silval em apartamento

Propina do Detran era paga em escritório e repassada a filho de Silval em apartamento

Descritos pelo Ministério Público (MPE) como “amigos”, Rodrigo Barbosa e Pedro Elias Domingos (filho de Silval Barbosa e ex-secretário de Administração, respectivamente), combinaram cobrança de propina no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT) para que não houvesse atraso no pagamento de contrato firmado com a empresa Sal Locadora de Veículos.

A propina, combinada em 10%, alcançou valor superior a R$ 600 mil e foi entregue, entre julho de 2011 e setembro de 2012, no escritório da empresa. Segundo ação, Todos os pagamentos da vantagem indevida foram realizados em espécie e pessoalmente por Alexsandro Botelho, dono da Sal.

Do valor arrecadado em vantagem indevida, Pedro Elias embolsava em torno de 15% e o restante ficava com Rodrigo. Quando Pedro recebia o dinheiro de Alexsandro, como era sempre em espécie, colocava em uma sacola ou mochila e ia na residência de Rodrigo para efetuar a entrega dos valores. Pagamentos ao filho do ex-governador ocorrem no estacionamento do prédio onde o filho do ex-governador mora ou no próprio apartamento.
 
As informações presentes na ação foram confirmadas por Rodrigo Barbosa e Pedro Elias, que atuam como delatores premiados.

O caso
 
Promotor de Justiça Arnaldo Justino da Silva, membro do Ministério Público de Mato Grosso (MPE), denunciou na segunda-feira (25) o médico e empresário Rodrigo Barbosa, filho do ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, mais cinco pessoas e uma empresa.
 
Há indícios de superfaturamento e também pagamento de propina no Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT). Consta na ação um pedido de bloqueio em montante que supera R$ 2,4 milhões.

A ação julga irregularidades na execução de contrato de prestação de serviços firmado em 2011 entre o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT) e a empresa Sal Locadora de Veículos.
 
Também são acionados no processo o ex-secretário de Administração, Pedro Elias Domingos de Mello, os ex-presidentes do Detran, Teodoro Moreira Lopes e Giancarlo da Silva Lara Castrillon, a empresa Sal Locadora e o empresário Alexsandro Neves Botelho (responsável pela Sal).

Houve superfaturamento de R$ 86 mil no primeiro aditivo do contrato. Também se descortinou durante as investigações que Rodrigo Barbosa e Pedro Elias praticaram ato de improbidade administrativa em benefício próprio, solicitando e recebendo vantagem indevida de Alexsandro Botelho.

Fonte:Olhar Direto