Casqueamento dá início aos preparativos para o TRIO Bonsucesso

Casqueamento dá início aos preparativos para o TRIO Bonsucesso
A Fazenda Bonsucesso – Nelore Zan inicia nesta semana a avaliação e casqueamento dos touros e fêmeas, já se preparando para o esperado TRIO Bonsucesso, que neste ano ocorre nos dias 25 e 26 de maio. No dia 25 o TRIO será dedicado aos touros e dia 26, às fêmeas.
 
Na Bonsucesso, o casqueamento está sendo feito por José Rodrigues Sobrinho, conhecido como Cané. Ele é de Santo Antônio do Aracanguá e tem grande experiência no tratamento de bovinos na região.
O casqueamento tem como principal objetivo prevenir doenças dos cascos e também é possível corrigir pequenas imperfeições nos aprumos, amenizando o problema de membros com pequenos defeitos.
Durante o casqueamento são utilizados três tipos de ferramentas: a rineta, a torquês e a lixadeira. A rineta é utilizada para a limpeza das patas, já a torquês para cortar a aparar os cascos, enquanto a lixadeira afina e tira todas as imperfeições dos casos sendo necessário uma para cada animal.
 
A sexta edição do TRIO Bonsucesso, principal evento da fazenda, dará sequência a uma história de leilões que já tem mais de 30 anos. A Bonsucesso atua há quase 60 anos de seleção da raça Nelore, mérito possível porque a fazenda uniu a experiência da marca e os avanços do mercado.
 
Para o titular da fazenda, Michel Caro, as diversas ferramentas empregadas na Bonsucesso no processo do melhoramento genético expressam um conjunto de valores de produtividade econômica indispensável para quem busca resultados num mercado extremamente competitivo.
 
“Algumas metodologias de avaliação adotadas na nossa seleção são visuais, de observação, e servem a classificar os animais em função de critérios físicos e comportamentais fundamentais para o bem-estar e a longevidade dos reprodutores que selecionamos assim, a qualidade do ambiente, do manejo e os cuidados à saúde são essenciais. O casqueamento é um deles, ele proporciona aos nossos jovens touros uma maior eficiência com mais conforto”, afirma.
 
Por Eduardo Fonseca/Foto DP