Selante biológico previne mastite em vacas

Selante biológico previne mastite em vacas

O veterinário Omar Vladimir Pabón Rodriguez, Mestre em Ciências Agrárias da Universidade Nacional da Colômbia (UN), afirmou que conseguiu criar um selante biológico que é capaz de prevenir a mastite em vacas. Ele explica que a bactéria do ácido lático, Weissella cibaria, que faz parte dos ingredientes biosselantes, possui um efeito antimicrobiano probiótico e ativo contra os principais patógenos da doença. 

"Estima-se que metade dos rebanhos bovinos da Colômbia não possui nenhuma incidência de mastite subclínica (sem sintomas), e em alguns rebanhos podem estar presentes em 20% ou 30% das vacas. É uma das doenças mais prevalentes no setor”, comenta o especialista dizendo que a sua invenção ainda precisa adquirir o registro da patente. 

De acordo com o veterinário, essa doença pode alterar a composição do leite e reduzir sua qualidade, de modo que as empresas geralmente descartam o fornecimento desse alimento. Além disso, antibióticos convencionais e produtos químicos fabricados pelos produtores para tratar a doença podem deixar alguns traços no leite e deteriorar suas propriedades. 

“O valor agregado de nosso biosselante é justamente sua composição orgânica, que não polui o leite nem é agressiva ao animal, evitando efeitos colaterais. Por isso, acreditamos que nosso produto possui uma ampla projeção comercial, na medida em que já estabelecemos uma formulação com os ingredientes e procedimentos necessários para obtê-lo”, indica. 

Ele acrescenta que o biosselante é uma ferramenta contra a proliferação de infecções, levando em conta que as bactérias estão desenvolvendo resistência contra produtos de síntese química e antibióticos. É por isso que o selante biológico seria atraente para grandes empresas e laboratórios, com uma projeção para uma ampla difusão comercial. 

Por: AGROLINK -Leonardo Gottems/Foto DP