Domingo, 19 Agosto 2018

N Notícias

Semma e lideranças comunitárias discutem locais específicos para instalação dos Ecopontos

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Após levantamento da localização de onde serão instalados os Ecopontos em bairros ou grande áreas onde há descarte inapropriado de lixo nos bairros santarenos, a Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) e Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminfra), reuniu na manhã de terça-feira (9) com lideranças comunitárias das grandes áreas que vão receber os 7 (sete) Ecopontos.

Alter do Chão será uma das grandes áreas que receberá um dos pontos de coleta de material reciclável. Para o presidente do Conselho Comunitário da Vila de Alter do Chão, Carlos Santos, a proposta só trará benefícios à população, pois vai proporcionar mais uma ferramenta de destinação correta do lixo e ajudará na preservação do meio ambiente. "Apesar de sermos um local privilegiado pela coleta do lixo diariamente, Alter do Chão precisa desse serviço. Recebemos constantemente cobranças para a preservação daquela área que é bastante apreciada por todos que moram lá e aos turistas", pontuou o líder comunitário.

Outro local que receberá um Ecoponto é o Residencial Salvação. Com uma população de aproximadamente 15 mil pessoas, a área já passou por alagamentos por conta da falta de cuidados com os resíduos sólidos que entupiram bueiros.

A presidente da Associação de Moradores do Residencial Salvação, Rosineide Fernandes, disse que a idéia é boa e que o fortalecimento da educação ambiental vai ajudar a população a ter mais conscientização no descarte dos resíduos, o que resultará para eficácia do objetivo do projeto. "Os munícipes precisam receber educação ambiental a fim de se sensibilizar quanto aos cuidados com o seu lixo, considerando que trata-se também de uma questão de saúde. Com a implantação da coleta seletiva de material reciclável, a proposta ajudará também na geração de renda das cooperativas de catadores", destacou a líder comunitária.

A secretária de Meio Ambiente, Vânia Portela, informou que a partir de agora as lideranças devem reunir com os demais representantes comunitários das suas respectivas áreas, definir o local específico para a instalação dos Ecopontos e informar à Semma para, a partir daí, ser trabalhada a elaboração do edital de licitação e posterior contratação de empresa que irá construir os Ecopontos. "A previsão é que os pontos de coletas sejam construídos ao longo desse semestre. Inicialmente, vamos realizar ações de educação ambiental com campanhas de orientação em rádio, distribuição de material informativo, palestras nas escolas e nas grandes áreas, formados por uma equipe de estagiários e nossos técnicos em educação ambiental, a fim de esclarecer e levar informações sobre os conceitos básicos da política nacional de resíduos sólidos", ressaltou Vânia Portela.

Saiba mais:

O Projeto vai atender as grandes áreas, bairros ou comunidades ao redor de onde será implantado. A coleta de lixo doméstico continuará normalmente e os locais de recebimento só vão receber materiais de reciclagem como papel, plástico, vidro e metal.

Ecopontos

A iniciativa, que faz parte do "Projeto Lixo Legal", fruto da cooperação financeira entre a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e a Prefeitura de Santarém, Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) e Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminfra), que prevê a destinação total de R$ 380 mil para intervenções socioambientais em Santarém.

Os trabalhos serão promovidos por meio de palestras, campanhas educativas e visitas domiciliares com ênfase na coleta seletiva dos resíduos sólidos, além da instalação de container e, logo em seguida, Ecopontos. A iniciativa pretende divulgar os conceitos da Lei Federal Nº 12.305/2010 que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos quanto ao uso, armazenamento, reciclagem e coleta seletiva de lixo; promover a coleta seletiva e aplicar estratégias de resgate à ligação do homem com o meio ambiente.

Por Júlio C. Guimarães/Agência Santarém.